07 novembro, 2013

Afetar-se ou não afetar-se, eis a questão...

Porque será que ficamos tão 'afetados' pelo outro?

Normalmente nos afetamos proporcionalmente à expectativa e ao envolvimento, à fé que depositamos naquilo que passo a acreditar ou também me identificar (me ver ali)...

Eu tenho uma amiga que colocava a 'mão no fogo' pela outra amiga, num assunto que mexia com sua reputação, a mão se queimou... e ela rompeu uma amizade de anos...  Ela afetou-se pela amiga até decepcionar-se vendo que a realidade era outra.

Porém, quando nos afetamos de tal modo por algo, alguém ou uma causa, ficamos um pouco cegos. Trazemos o outro para dentro de nós para se encaixar no nosso ideal. Outras vezes, até enxergamos bem o outro, mas ainda assim o queremos tão bem que desejamos vê-lo capaz de superar-se (correspondendo ainda aos nossos anseios) e nos magoamos quando isso não acontece. E infelizmente a mágoa é proporcional ao tamanho do afeto...


Até que a gente consiga entregar o outro a si mesmo e à sua sorte!


No fim a gente descobre que o importante como Carlos Castañeda citou com seu Don Juan deva ser mesmo verídico... que uma vez que o homem aprenda a ver, tudo no mundo passa a ser sem importância...  





É a vida é assim... nos envolvemos para nos des-envolvermos!





Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...