20 julho, 2017

Talento x Esforço

Por Milene Siqueira

O tema do programa Terra Dois (TV Cultura) transmitido nesta semana, foi sobre talento x superação/esforço (LAB).

A temática era exposta sobre a divergência talento x esforço. Afinal o que mais vemos é ouvir sobre pessoas que precisaram ter aquela história triste de vida e contar que sofreu muito, passou fome, teve doença X, morou mal, mas...ufa... triunfou!
É um destaque à superação e ao esforço... mas não ao talento.

A superação, o esforço e a competição andam juntas, seja com os demais ou conosco mesmo. Ainda que seja apenas para nos superar em algo, o que estamos fazendo é em geral competir com nossas feridas ao invés de reconhece-las e as acolher. Lutar é um verbo aclamado aos quatro ventos. Acolher é eventual, quase raro.
Poderíamos ouvir mais histórias de pessoas que souberam ou aprenderam a acolher suas emoções e se transformaram a partir disto (que é a realidade, ainda que não descrita assim, pois é só a luz que acaba com a escuridão), do que... que "lutaram" contra e venceram...

Mas pra entender melhor, o que é mesmo talento?

Esta já não foi a temática do programa. Dai falando com uma amiga sobre, ela me lembrou que talento é fruto de autoestima, de ser capaz. Yes!
Sim, essa tal autoestima, que infelizmente ainda é uma desconhecida. A autoestima que se adquire logo de pequeno, concedendo aprendizado à criança sobre sua ética, da sua capacidade de aprendizado e aptidão, da educação dos limites, e também de sua beleza própria, única, enfim destes e de outros aprendizados possíveis. E que no decorrer da vida, vai se ampliando pelo autoconhecimento, gerando ou reafirmando a autoestima.
Logo, talento está ligado às facilidades, fluidez.

A palavra talento vem do grego, significando balança, escala, peso e moeda na antiguidade. Conhece a parábola bíblica dos Talentos? Talentos eram as moedas. 
E como tal, as virtudes adquiridas são nossas moedas!
Talentos são importantemente reforçados no ambiente familiar, escolar, social. É aquilo pelo qual se adquire crença positiva, e se apropria da mesma como nato.
Se um talento existe mas não é reconhecido, ou passa a ser motivo de discórdia, vergonha... fica apenas encoberto.
Se "esforços" forem necessários para aperfeiçoar o talento, a palavra mais apropriada seria empenho, esforço sem sofrimento implícito.

As virtudes transmitidas a uma criança, tornam-se suas moedas de ouro, seus talentos. Por exemplo, é natural que eu cozinhe tão bem quanto minha mãe, ou que eu seja tão apta em marcenaria como meu pai. Ainda que não se aprenda com eles, a criança observa e se vê como capaz. Por isso é muito comum os filhos herdarem talentos dos pais, inclusive se profissionalizando na mesma atuação.
Temos inúmeros valiosos talentos. Talento para cozinhar, para habilidades artesanais, pintura, música, oratória, canto, costura, vender, escrever, fotografar, varrer o chão, limpar a casa, criar filhos, jogos, lidar com máquinas, escrever, habilidade em finanças, etc. Habilidades, virtudes são talentos compartilhados por outras talentosas pessoas.  E às vezes tão comum que nem o reconhecemos por talentos!
Uma certa vez, minha mãe precisou passar por uma cirurgia e uma prima ficou em casa para cozinhar. Além de cozinhar bem e ser muito criativa, nunca esqueci a louça que ela lavava, os copos ficavam brilhantes! 
Mas logo vinculamos talento só para artes consideradas mais nobres e/ou as que geram ganhos financeiros! Nada disso... valorize-se, porque seus talentos quaisquer que sejam são suas moedas de ouro.

Dai... como vamos usar nossas moedas que é o que trata aliás a parábola dos talentos é outra questão. 
É nesta parábola que encontramos o conhecido e intrigante trecho: "Porque ao que tiver será dado, e terá em abundância; mas ao que não tiver até o que tem ser-lhe-á tirado”. Sem dúvida, uma parábola que trata do amor compartilhado contra a avareza.
E sim, pode ser desde lavando a louça e marcando a memória de alguém pra sempre, ou regendo uma grande orquestra e emocionando muitas pessoas.
Deixando de ser "avarento" com o tempo, com as pessoas, com os bens, consigo mesmo até! Ou seja, com a crença na finitude sob qualquer aspecto.
É... fazer do talento um dom, é mesmo uma arte do espírito!

Voltando a temática do programa, a questão estava bem voltada à dificuldade do talentoso (pensando-se neste como destaque).  Já que ser talentoso implica sair da média, da mediocridade e muitas vezes do grupo. É êxito que indica a saída (exit!).
Talento é solitário enquanto sofrimento é solidário -  como lembrou o psicanalista Jorge Forbes.
E portanto, ter talento é muito mais difícil do que se imagina... Além da saída do grupo, são os mais vitimados pela comparação, cobiça, bulling. E muito frequentemente o "talentoso" acaba se vendo sozinho. Confira, vale assistir o programa: LAB.
Não precisaria ser assim... mas é assim que acontece enquanto não nos conscientizamos e "valorizamos" o talento individual de todos, seja qual e de que tamanho for, pois todos os temos e todos os são importantes.

Já ser "esforçado" nivela, pois qualquer um pode a priori se esforçar... Porém o esforço existe pelo desconhecimento. Nadamos contra a maré. Na sociedade que te faz caber na caixa que não lhe serve.
É a partir do autoconhecimento que nadamos no fluxo, sem esforço. Disto resulta em autoestima.... que resulta em talento!

E então... o que fazer com suas moedas? Como somá-las, multiplicá-las? Como adquirir outras? Partindo de dentro, do autoconhecimento, autoconfiança, da ordem, da disciplina, da ética!


Leia também: AutoEstima - O afeto que mora do lado de dentro



*

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...