30 junho, 2020

Novo blog: Elemente-se!


ôpa.... novo blog do Elemente-se: www.elementese.blogspot.com! Agora, fica tudo organizado por lá!

Tem tudo que está sendo postado no Instagram (@elemente_se).

Formato de blog dinâmico, então é indispensável o uso dos marcadores e melhor visualização pelo note, ou clicando no canto direito do smartphone em versão para computador! 

Escolha como deseja visualizar no canto esquerdo - flipcard, mosaico, clássica, menu lateral, etc e clique sobre os marcadores.

__


12 junho, 2020

Atualizações



A loja Arom’Arte (http://www.aromarte.com.br/loja.htm) vem retomando algumas sinergias... Por enquanto, disponíveis: Tônico Capilar, Regenera e Ínti Fem! E nesta semana, mais novidades!

+ óleos essenciais, sinergia para problemas respiratórios, e ainda há algumas unidades disponíveis de colares para Aromaterapia!

Gostaria também de saber, que sinergias você sente falta ou óleo essencial? Para ansiedade e insônia, o Síndromes do Feminino? Me conta!?

Sobre COVID-19 e óleos essenciais, tem três matérias aqui no blog, que podem interessar:



Tem também um post lá da época do H1n1, que tambpém foi preocupante: http://aromais.blogspot.com/2009/07/orai-e-vigiai-nova-gripe.html

Vale ver ou rever a página Tea Tree no site: http://www.aromarte.com.br/teatree.htm - pessoalmente continua sendo meu grande aliado aqui como antiviral! 

E esses tempos, onde questionamos talvez como nunca... VALORES! Deixei uma reflexão lá no blog Sentidos – Psicoaroma:

E você como tem se sentido? Ansioso (a), temeroso (a)? Me conte! E se eu puder te ajudar... vai ser um prazer!

E de modo geral, acredito muito na base de intimidade com os elementos... tanto na relação com o externo, quanto em nós, no campo mais sutil.
E para trilhar sobre cada elemento... criei um insta do Elemente-se! É esse aqui: @elemente_se : https://www.instagram.com/elemente_se/

Estou postando informações e ajudando se possível a inspirar! E fogo é isso, inspiração, autocura!
Em breve, chego no elemento água... e assim vamos seguir por algumas semanas. Já conto que deve ter sorteio de algum kit do Elemente-se em algum momento!
Então, se te interessar segue lá, e envie também para quem você achar que se interessa, ok!

E as meditações do Elemente-se tenho regravado... mas continuam lá no app do InsightTimer (gratuito), e criei um canal no YT também, para facilitar...
e vou disponibilizando as novas conforme seguimos no trajeto pelo Instagram!

Produtos do Doce Limão, estão agora na nova loja do site do Doce Limão, e voltando aqui a me dedicar com mais exclusividade à Arom’Arte!

Alguma dúvida? Pergunte!

Com carinho,

Milene S.


04 junho, 2020

Under Pressure

Observando alguns amigos gritando "deixem-me sair!"  .... em tempos atuais de George Floyd....

Rezo para que o amanhã me deixe mais animado.

Estes são os dias em que nunca chove, mas transborda.

A insanidade ri.

Por que não podemos dar amor?

Dar amor, dar amor.

Dar amor, dar amor. (...)


O amor te desafia a se importar com as pessoas no limite da noite.

E o amor desafia você a mudar nosso modo de nos preocupar com nós mesmos.


Saudade desses dois!


03 junho, 2020

Instagram do Elemente-se!





Que tal viajar pelos Elementos nessas semanas?

Se desejar, dá uma olhada no insta do @elementese e segue para receber inspirações dos elementos no seu feed!
Começando pelo Elemento Fogo para inspirar, promover a cura, a transformação!

Imagens, conhecimento, cultura, meditação, óleos essenciais, etc.

https://www.instagram.com/elemente_se/ (@elemente_se)



Canal YT (meditações): 
https://www.youtube.com/channel/UCpCIHyTLLpku1Z6vdKefIKw

Meditações também disponíveis no app do InsightTimer.

16 maio, 2020

Aliados ao COVID19 - óleos essenciais

Não sei de quem é a autoria, mas encontrei neste site. Mas as informações procedem. Como aqui no Brasil o uso oral é mais restrito a quem tem conhecimento e aromaterapeutas, pode-se usar a alternativa das ervas como louro, tomilho e orégano, com mais frequência na alimentação, ou adicionar os óleos em azeites, por exemplo - 1 a 2 gotas em 30ml em média. Lembrando que todas as especiarias são benéficas, em especial como antivirais, alho, cebola, louro, orégano, tomilho, cravo, canela, cúrcuma (açafrão da terra).

E acrescentaria, um óleo não comentado -  o óleo essencial de Limão Tahiti!
_____

Tenha um grande aliado contra o Coronavírus


Como funcionam os óleos essenciais Qualquer infecção é melhor prevenir do que tratar. E o coronavírus não é exceção.
Os óleos essenciais podem reduzir o risco de infecção, criar uma barreira protetora e fortalecer a imunidade?
Existem estudos científicos que confirmam a eficácia dos óleos essenciais? Como e quais óleos essenciais usar na luta contra esses vírus.
Qualquer curso profissional de aromaterapia começa com uma história que aconteceu durante a praga no século XVII na Europa.
Um grupo de pessoas roubava objetos de valores de pessoas mortas pela praga, saqueavam casas abandonadas. Quando, finalmente, foram presos, prometeram-lhes uma atenuação da punição se revelassem o segredo de como conseguiram não ser infectados.
Descobriu-se que antes da "tarefa" eles esfregavam uma infusão especial, que consistia em ervas com efeitos antisépticos e antivirais.
Como isso está relacionado ao COVID-19?
Lembre-se de que o COVID-19 é uma infecção respiratória causada pelo vírus SARS-COV-2. Este vírus pertence à família dos coronavírus, que inclui 40 tipos de vírus RNA (ou ARN).
A gripe pertence aos vírus RNA. Ou seja, o coronavírus é um dos vírus contra os quais uma droga antiviral é necessária e afeta especialmente pessoas com a imunidade enfraquecida.
Em 1928, o químico francês Rene Gattefosse provou que alguns óleos essenciais, que incluem fenóis, terpenos, óxidos e aldeídos, têm propriedades antissépticas, antivirais e antibacterianas superiores às preparações químicas.
Estudos mais recentes comprovam que as substâncias ativas dos óleos essenciais, como orégano, alcaravia, louro e tea tree(Melaleuca alternifolia), podem afetar a família dos coronavírus.
Esses estudos não afirmam que o óleo essencial pode curar o coronavírus. Mas, graças ao seu uso, nós criamos uma poderosa barreira à penetração do vírus, criamos uma tela protetora (uma blindagem invisível) e barramos o vírus na entrada.

Fortalecemos a nossa imunidade

Afinal, é a imunidade enfraquecida que aumenta o risco de infecção por coronavírus
Neste artigo, consideramos quatro óleos essenciais e como usá-los.
1- Óleo de orégano. 
O óleo de orégano é o antisséptico número 1 na aromaterapia.É um medicamento antiviral natural, antimicrobiano e antifúngico. Inclui o carvacrol - um poderoso antisséptico natural que luta contra certos tipos de bactérias e vírus resistentes a produtos químicos.

Como usar?
Aplicação interna(oral):
Dilua 1 gota de óleo em uma colher de mel ou azeite e absorva (via oral). Tome não mais que três vezes ao dia e não mais que cinco dias. Recomenda-se ser tomado ao primeiro sinal de infecção ou para prevenção, se houver risco de infecção (eventos públicos, aeroporto, locais públicos). Evite locais com aglomeração de pessoas.
Aplicação ao ar livre ?
Misture 2-3 gotas de óleo em seu creme regular ou em óleo vegetal e aplique nas partes expostas do corpo antes de sair em um local que tenha grande circulação de pessoas (precisamos sair para ir ao mercado no mínimo). Você pode preparar a mistura com antecedência e usá-la em locais públicos e sempre lavar as mãos.
Precauções!
O óleo de orégano não pode ser aplicado de forma pura na pele e também usado em crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade. Não recomendado para mulheres grávidas e lactantes.

2.Óleo de tomilho
O óleo de tomilho é considerado antisséptico nº 2 na aromaterapia. Um poderoso estimulador da imunidade em doenças infecciosas do trato respiratório superior. Tem efeitos antivirais e antimicrobianos.
Como usar?
As regras de admissão são idênticas às do óleo de orégano.
Precauções! Não recomendado para crianças menores de 5 anos. Crianças e adolescentes entre 5 até 15 anos de idade são recomendadas apenas para uso externo. Não recomendado para uso nos primeiros três meses de gravidez.

3-Óleo de Tea Tree(Melaleuca alternifolia)
O óleo da árvore do cháé um antisséptico, imunoestimulante, antiparasitário e antifúngico. Também pode ser usado para influenza, sinusite, amigdalite, otite média, bronquite, faringite e infecções geniturinárias.
Aplicação interna
Dilua 1 gota de óleo em uma colher de mel ou azeite e absorva via oral. Não tome mais que três vezes ao dia e não mais que cinco e no máximo por sete dias.
Aplicação ao ar livre ?
3-4 gotas de óleo para misturar uma colher de chá de óleo vegetal e aplicar movimentos de massagem na área do peito. 
Precauções!
Não recomendado a menores de 10 anos!
Não recomendado principalmente para uso nos primeiros três meses de gravidez.

4-Óleo de louro
O óleo de louro também é um agente antisséptico e antiviral muito forte. Pode ser usado a partir de 7 anos. O óleo de louro não é usado para ingerir, mas pode ser usado na forma pura.
É muito prático, não há necessidade de se misturar com nada, basta ter uma garrafinha com você durante o período de epidemias. Por exemplo, se não for possível lavar as mãos, você pode colocar 2-3 gotas nas mãos e esfregar; nesse caso, o óleo atua como desinfetante.
Ou, durante o período da epidemia, aplique 1-2 gotas embaixo do nariz antes de sair. O óleo de louro pode substituir o óleo de ravensara.

Importante! O óleo essencial deve ser natural. Como mencionado acima, os óleos essenciais contêm substâncias ativas fortes, portanto, é muito importante observar dosagens e precauções. Consulte um Aromaterapeuta.

15 maio, 2020

O potencial dos óleos essenciais na pandemia - Covid19

Fábián László, aromatólogo, especialista em óleos essenciais e CEO do Grupo Laszlo
- O Tempo 

A gripe espanhola de 1918 deixou um legado importante: era preciso evitar aglomerações, não frequentar cinemas e teatros, não fazer visitas e cuidar da higiene – as mesmas recomendações médicas para evitar o contágio pela Covid-19. Outro legado vem dos séculos XVI e XVII durante a peste negra. Os médicos usavam dentro da máscara uma solução de vinagre com plantas aromáticas ricas em óleos essenciais, como canela, louro, cravo-da-índia, entre outros, para evitar contrair a moléstia1. Essa mistura ficou conhecida como “sinergia dos quatro ladrões” porque foi usada por assaltantes para entrar nas casas dos moribundos para saqueá-las, sem contraírem a doença.

Séculos depois, estudos científicos demonstram o potencial desses óleos para debelar, neutralizar ou até mesmo matar o vírus da herpes, da influenza e do ebola. Nesta entrevista, Fábián László, aromatólogo, especialista com mais de 20 anos de pesquisas em óleos essenciais, editor chefe da mais respeitada editora do país de livros sobre aromaterapia (Editora Laszlo) e CEO do Grupo Laszlo, mostra o potencial de alguns óleos essenciais para minimizar ou prevenir a Covid-19.

Quais óleos essenciais têm se mostrado eficazes em relação à Covid-19? Existem alguns estudos que mostram o potencial de diversos óleos e seus componentes majoritários em combater bactérias, vírus e fungos. Eles podem debelar, inibir e, às vezes, matar vírus como os do herpes, da dengue e da influenza H1N1. Em 2008, uma pesquisa italiana2 demonstrou in vitroconsiderável eficácia do óleo essencial de louro, na diluição de apenas 0,012%, no combate ao coronavírus do tipo SARS-CoV-1, que causa síndrome respiratória aguda grave e antecede a Covid-19 e o SARS-CoV-2, para os quais o óleo de louro ainda não foi estudado.
Em 2019, nos EUA, um estudo3 demonstrou que o eugenol, principal componente do óleo essencial de cravo-da-índia, apresentou potente ação antiviral ante o ebola, vírus que, como os coronavírus, possui grande potencial de infecção devido à presença de espículas ao seu redor que carregam proteínas que se ligam a receptores nas células, abrindo as portas para o vírus. No caso da Covid-19, a proteína “S”, presente nas espículas do vírus, possuem alta afinidade pelo receptor da enzima de conversão de angiotensina (ECA2), via pela qual esse vírus invade as células do pulmão, provocando a infecção. Esse receptor está presente em inúmeros tipos de células do corpo, desde pulmões, rins, intestinos e sistema nervoso, e, dentre várias funções, interfere no controle da pressão sanguínea.
Avaliações recentes de reconhecimento e afinidade molecular demonstraram que os componentes eugenol (do cravo-da-índia)4 e cineol (do louro e do eucalipto-comum)5 possuem grande potencial de ligação com proteínas responsáveis pela penetração e pela multiplicação do SARS-CoV-2 nas células. São estudos preliminares, sendo os próximos passos pesquisas in vitro com o novo coronavírus para confirmação.
Há algum fitoterápico que possa atuar na proteção do vírus? Existem diversos estudos6 já realizados com quercetina, hesperidina e rutina, que são flavonoides derivados das frutas cítricas, além de pesquisas com o ácido glicirrizínico do alcaçuz7,8, que in vitro mostrou eficiência contra o SARS-CoV-1. As avaliações preliminares e o uso por parte da população doente na China de compostos fitoterápicos9, especialmente ricos em extrato de alcaçuz10, têm apresentado resultados de rápida recuperação dos pacientes da Covid-19 e sendo alvo de grande atenção do meio médico. Curiosamente, a quercetina citada, também encontrada em cebolas e maçãs, demonstrou ter a capacidade de quelar o zinco e transportá-lo para dentro das células11. Isso teoricamente poderia aumentar a eficiência antiviral que o zinco possui.
Algumas pessoas estão paralisadas pelo medo, ansiosas e até mesmo com insônia. Quais óleos e plantas você indica para trabalhar o lado emocional? Em 201012, um laboratório da Alemanha registrou e lançou no mercado o medicamento Silexan, cuja composição de cada cápsula varia de 80 mg ou 160 mg de óleo essencial de lavanda. Os resultados das investigações evidenciaram a ação ansiolítica desse medicamento, ao ser ingerida uma cápsula diariamente por um período de 14 dias consecutivos, demonstrando que esse óleo essencial é tão eficaz quanto o benzodiazepínico lorazepam em adultos com desordem de ansiedade generalizada13, além de ter efeito similar ao antidepressivo paroxetina14
Via inalação, em inúmeros estudos com grupos humanos, que podem ser acessados no pubmed.com, o óleo de lavanda mostrou potencial tranquilizante no tratamento da insônia, irritabilidade, depressão, desordens de pânico (fobias), bipolaridade, além da redução da liberação de cortisol, principal hormônio responsável pelo estresse15. Quando inalada, a lavanda mostrou ser capaz de aumentar a liberação de melatonina, importante hormônio que produzimos à noite durante o sono e que possui efeitos imunoestimulantes e reguladores do ciclo circadiano16. A melatonina vem sendo estudada17 com relação ao seu potencial benéfico na redução dos sintomas da Covid-19, uma vez que aumenta a imunidade, reduz a inflamação e ainda possui potencial antiviral, efeito notado em morcegos, que, por serem animais noturnos, possuem altos níveis de melatonina, o que pode justificar sua alta resistência a diferentes vírus18.
Além da lavanda, temos diversos outros óleos com comprovado efeito no controle da ansiedade: bergamota, espruce, manjerona, abeto, funcho e laranja. O óleo essencial da laranja se mostrou mais eficiente que o diazepam em um estudo clínico realizado para o controle da ansiedade em pacientes com leucemia19.
Recentemente, doamos óleos essenciais ansiolíticos como lavanda, laranja e bergamota para alguns hospitais que estão empregando-os em difusores na sala dos profissionais de saúde (médicos e enfermeiros), visando reduzir o nível de estresse ocasionado pela situação atual. Alguns hospitais norte-americanos também estão fazendo isso, com grande sucesso.
Há estudos de óleos que podem fortalecer o sistema imunológico? Existem muitas publicações que evidenciam o potencial de diferentes óleos essenciais aumentarem nossa resposta imunológica. Por exemplo, o óleo das folhas de tuia-maçã, rico em tuiona, estimulou fortemente a produção de gama-interferon20, elemento essencial para os linfócitos produzirem globulinas, os anticorpos através dos quais nosso organismo combate os vírus. Curry21, cravo-da-índia, palmarosa e manjericão também são óleos ricos em compostos que estimulam fortemente a produção de globulinas22. Louro, eucalipto-comum e ravintsara, óleos ricos em cineol, também mostraram modular vários fatores complementares da resposta imunológica em infecções23.
Na fase aguda dos sintomas, quando ocorre uma exacerbação da resposta inflamatória, o óleo de turmérico mostrou potencial para frear inúmeras citocinas inflamatórias, inclusive a produção de gama-interferon, algo que o torna útil no controle de quadros alérgicos e de reações imunológicas exacerbadas24.
Além dos óleos essenciais, na China e em todo o mundo tem sido feito o uso de muitas ervas que aumentam o sistema imunológico, visando preparar o corpo em caso de infecção pelo vírus causador da Covid-19. Como exemplo6, temos plantas consagradas por seu potencial imunoestimulante, como a equinácea, rodiola e astrágalo, e cogumelos imunotônicos, como o cordyceps, reishi e até mesmo o conhecido shitake. Mas vale destacar que o uso desses suplementos deve ser suspenso imediatamente nas pessoas que estejam infectadas com sintomas agudos, como falta de ar e febre muito alta, pois, nesse estado, o corpo manifesta uma tempestade inflamatória que esses suplementos podem exacerbar e agravar fortemente a condição do paciente. O acompanhamento de um bom especialista é muito importante nesses casos.
E em relação a nutrientes? As vitaminas A, C e D e os minerais zinco e selênio são cruciais nesse momento para manter uma resposta imunológica elevada ante a infecção. No caso da vitamina D3, que na verdade é um hormônio que nosso corpo produz pelo contato com a luz do sol, ele é capaz de modular a atividade de 229 genes especificamente relacionados ao sistema imunológico25, muitos deles responsáveis pela capacidade do nosso corpo de produzir anticorpos.
Ainda sobre a vitamina D3, cientistas de Turim, na Itália relataram recentemente26 que pacientes com Covid-19 que faleceram ou manifestaram alta reatividade infecciosa possuíam níveis abaixo dos normais de vitamina D3 nos exames. Isso é preocupante, pois, enclausurados dentro de casa na quarentena, sem tomar sol, nossos níveis de vitamina D3 cairão rapidamente e estaremos mais suscetíveis ao vírus, uma vez que nosso sistema imunológico não tem estímulo suficiente dessa vitamina para reagir eficientemente nessa infecção. Apesar de ainda não reconhecida essa necessidade pela OMS ou pelo MS, a suplementação de vitamina D3 neste momento é imprescindível em toda a população em quarentena.
Em que casos os óleos essenciais citados podem ser usados? Como o SARS-CoV-2 é um vírus recente, não podemos afirmar ainda qual o melhor óleo essencial para combatê-lo, até que tenhamos pesquisas comparativas e com seres humanos. Mas, podemos empregar óleos que auxiliem no controle dos sintomas e, como não há nada com eficácia oficialmente confirmada para tratar esse vírus, óleos essenciais de ação antiviral já testada seriam interessantes opções neste momento.
Eu gostaria de comentar especificamente sobre um estudo americano de 201427 que demonstrou que o óleo de bergamota, usado por via aérea, foi o mais eficiente em neutralizar o vírus da gripe-suína (H1N1) do ar de um ambiente fechado, eliminando todos os vírus com apenas dez minutos de difusão. Na mesma pesquisa, cravo-da-índia e canela também foram muito potentes, sendo a canela o único óleo que inibiu duas proteínas que a influenza H1N1 utiliza para invadir as células e replicar-se, a hemaglutinina e a neuranimidase. Interessante destacar que, pelo fato de o coronavírus ser parente do vírus da gripe, ele também possui hemaglutinina, contudo ele utiliza na membrana do seu envelope a proteína “S” para invasão, e a hemaglutinina, no novo coronavírus, ficou até agora sem função conhecida. Devido ao fato de a canela inibir ambas as proteínas de adesão do vírus H1N1, inativando-o completamente, acreditamos que esse óleo tenha também forte capacidade de inibir a proteína “S”, eliminando o poder de infecção do SARS-CoV-2. 
A via respiratória é o principal meio pelo qual o SARS-CoV-2 penetra e infecta nosso corpo, sendo os pulmões os principais órgãos atingidos. A inalação de óleos essenciais para o tratamento de doenças é tão antiga quanto à humanidade, sendo que, desde 1930 – como surgimento da aromaterapia –, a inalação dessas substâncias se consagrou e foi reconhecida pela Organização Mundial da Saúde e, em 2018, pelo Ministério da Saúde dentro da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPICs).
A aromatologia está em ascensão? Os últimos anos foram marcados por uma explosão mundial no comércio e pela utilização de óleos essenciais em todo o planeta. Em 2019, esse mercado movimentou mais de US$ 1 bilhão em todo o mundo apenas no segmento da aromaterapia. Podemos avaliar por esses números que a toxicidade e os efeitos colaterais dessas substâncias são baixíssimos, caso contrário haveria uma comoção mundial em proibir seu uso.    
Há, ainda, muita resistência por parte da classe médica em relação ao uso dos óleos essenciais? Diante da pandemia atual, eu faço um apelo por maior atenção por parte do meio médico-científico e do governo para que testes clínicos com óleos essenciais, via nebulização, em pacientes acometidos pela Covid-19, venham a ser flexibilizados em nível hospitalar (pois, em residências em todo Brasil, já vêm sendo usados pela população). Esse é um método extremamente simples, empregado há décadas no mundo e que pode trazer respostas imediatas e muito rápidas enquanto outros estudos com óleos essenciais e o SARS-CoV-2 possam ser feitos em paralelo pelo meio acadêmico. Há médicos que conhecem a aromaterapia e que poderiam coordenar esse tipo de ação conjuntamente com comitês de ética e científicos para avaliação dos resultados em grupos humanos de imediato. Acredito ainda que a associação sinérgica de óleos essenciais antivirais, com a ozonioterapia, pode trazer melhoras sintomáticas rápidas para os pacientes. Há evidências médicas surgindo a respeito dos benefícios da terapia com ozônio em pacientes acometidos pela Covid-1928,29.  
Alguma dica de como as pessoas podem usarem casa? Em hipótese alguma as pessoas devem pensar que unicamente óleos essenciais vão resolver e curar a Covid-19. Até mesmo nossa sugestão para uso hospitalar tem o objetivo de que essa alternativa contribua para uma melhora mais rápida dos pacientes, desafogando o SUS, mas ela não substitui as demais intervenções e orientações médicas. A aromaterapia pode ser e já vem sendo empregada amplamente por pessoas em quarentena dentro de suas casas como meio de prevenção, imunoestimulação, redução da ansiedade e melhora dos sintomas mais brandos da infecção. É importante ressaltar que óleos essenciais não devem substituir a prescrição médica. Quem estiver fazendo seu uso em casa, tendo pioras ou apresentando sintomas graves da Covid-19, como falta de ar e febre muito alta, deve buscar imediatamente o hospital mais próximo com urgência.
Como usar os óleos essenciais
Nebulizador de máscara: Especialmente para aumento da imunidade e eliminação de catarro. Coloque de uma a três gotas no compartimento do soro (com um pouco de soro fisiológico). A inalação pode ser feita por 15 a 20 minutos seguidos ou até que o óleo acabe. Não é recomendado o uso de óleo de canela (pode arder o nariz). Recomenda-se cautela com os óleos de tomilho, cravo e orégano, que não devem exceder uma gota e podem ser sempre combinados com óleos mais suaves como eucalipto, louro ou teatree. Em caso de tratamento sintomático, a inalação pode ser feita de uma a três vezes ao dia por uma semana ou mais dias consecutivos, se necessário.
Difusor de ambiente: Especialmente para aumento da imunidade, redução do estresse e da ansiedade e redução da infecção aérea. Pingue de cinco a 15 gotas conforme o tamanho do ambiente (30 m2 a 60 m2) de óleos diversos com funções distintas ou complementares como indicado aqui. Esse uso pode ser feito de uma a três vezes ao dia ou na hora de dormir.
Difusor de colar: Especialmente para redução da ansiedade e estresse. Pingue uma gota diariamente. Importante ressaltar que essa intervenção é insuficiente para ter alguma eficácia antiviral. 
Máscara: Pode-se pingar uma gota de óleo essencial na máscara para inalação. Não utilize canela, cravo-da-índia, tomilho e orégano puros, pois podem queimar se houver contato com a pele.  
Álcool 70% líquido e gel: Podem ser adicionados óleos essenciais (de 0,5-1%) para potencializar sua ação antisséptica. Cerca de 20 a 45 gotas em cada 100mL de álcool líquido ou gel.
Massagem: A massagem com óleos essenciais pode ser feita em quem está em casa com sintomas de Covid-19 ou simplesmente com a intenção de reduzir a ansiedade ocasionada pela quarentena. Sugere-se para adultos o uso de 3% (65 gotas total) e crianças 2% (45 gotas total) de alguns dos óleos essenciais aqui descritos em algum óleo carreador para massagem. Não exceda dez gotas de óleos que possam arder a pele (canela, cravo, tomilho, orégano). 
O potencial de cada óleo30
Louro, eucalipto-comum, ravensara, ravintsara e saro são ricos em cineol (eucaliptol), que é um excelente expectorante. Óleos ricos desse composto podem ajudar a limpar as vias respiratórias do catarro, melhorar o fluxo do ar e estimular a resposta imune.
Cravo-da-índia é rico em eugenol, que apresentou (in vitro) ação antiviral até contra o vírus ebola. Esse componente mostrou em diferentes estudos capacidade de estimular a produção de anticorpos, meio pelo qual o nosso organismo combate os vírus. Cuidado: óleo agressivo para mucosas.Utilize sempre diluído.
Canela-da-china é um óleo essencial com maior nível de inibição de proteínas virais e pode ser sempre usado em difusores no ambiente para se proteger. Cuidado: óleo agressivo para mucosas.Utilize sempre diluído.
Tomilho e orégano são óleos ricos em carvacrol e timol, compostos conhecidos por possuir alta eficiência contra diferentes agentes virais. Esses óleos mostraram ter importante efeito imunoestimulante e podem ser complementares em sinergias com outros óleos. Cuidado: óleo agressivo para mucosas. Utilize sempre diluído.
Bergamota apresenta grande eficácia em debelar vírus no ar, como o H1N1, e possui, além disso, efeitos sedativos e ansiolíticos, úteis para a ansiedade gerada pela quarentena.
Tea tree é altamente eficiente contra o H1N1, possuindo potencial ante outros tipos de vírus. Também possui ação imunoestimulante e levemente expectorante.
Palmarosa e gerânio são óleos muito suaves e agradáveis, com aroma de flores. São ricos em geraniol, composto que mostrou possuir ação estimulante da produção de anticorpos.
Lavanda, bergamota, laranja, espruce, abeto, funcho, capim-limão são opções de óleos essenciais ansiolíticos e altamente relaxantes para o momento da quarentena. A lavanda, principalmente, possui estudos muito bons no controle da insônia.
Referências dos artigos científicos citados:
1.  HAJAR R. The Air ofHistory (Part II) Medicine in the Middle Ages. Heart Views. 2012 Oct-Dec; 13(4): 158–162.
2.  LOIZZO MR et al. Phytochemical analysis and in vitro antiviral activities of the essential oils of seven Lebanon species. Chem Biodivers. 2008 Mar;5(3):461-70.
3.  LANE T. et al. The Natural Product Eugenol Is an Inhibitor of the Ebola Virus In Vitro. Pharm Res. 2019 May 17;36(7):104.
4.  TALLEI T.E. et al. Potential of Plant Bioactive Compounds as SARS-CoV-2 Main Protease (Mpro) and Spike (S) Glycoprotein Inhibitors: A Molecular Docking Study. Preprints 2020, 2020040102 (doi: 10.20944/preprints202004.0102.v1).
5.  SHARMA, A.D.; KAUR, I. Eucalyptol (1,8 cineole) from Eucalyptus Essential Oil a Potential Inhibitor of COVID 19 Corona Virus Infection by Molecular Docking Studies.Preprints 2020, 2020030455 (doi: 10.20944/preprints 202003.0455.v1)
6.  ALSCHULER L. et al. Integrative considerations during the COVID-19 pandemic. Explore (NY). 2020 Mar 26. pii: S1550-8307(20)30113-0.
7.  CINATL J. et al. Glycyrrhizin, an active component of liquorice roots, and replication of SARS-associated coronavirus. Lancet. 2003 Jun 14;361(9374):2045-6.
8.  COHEN, J. I. Licking latency with licorice. J Clin Invest. 2005 Mar 1; 115(3): 591–593.
9.  REN JL. et al. Traditional Chinese medicine for COVID-19 treatment. Pharmacol Res. 2020 Mar 4;155:104743.
10.  MUST READ! China’s Secret To Controlling The Covid-19 Outbreak Is Traditional Chinese Medicine Concoctions Used Alone Or In Conjunction With Antiviral Protocols
- acessoabril de 2020.
11.  DABBAGH-BAZARBACHI H. Zinc ionophore activity of quercetin and epigallocatechingallate: from hepa 1-6 cells to a liposome model. J Agric Food Chem. 2014;62 (32):8085–8093.
12.  KASPER S. et al. Silexan, an orally administered Lavandula oil preparation, is effective in thetreatment of 'subsyndromal' anxiety disorder: a randomized, double-blind, placebo-controlledtrial. Int Clin Psychopharmacol. 2010 Sep;25(5):277-87.
13.  WOELK H. et al. A multi-center, double-blind, randomized study of the Lavender oil preparation Silexan in comparison to Lorazepam for generalized anxiety disorder. Phytomedicine. 2010 Feb;17 (2):94-9.
14.  YAP WS et al. Efficacy and safety of lavender essential oil (Silexan) capsules among patients suffering from anxiety disorders: A network meta-analysis. Scientific Reports volume 9 , Article number: 18042 (2019)
15.  KANG HJ et al. How Strong is the Evidence for theAnxiolytic Efficacy of Lavender?: Systematic Review and Meta-analysis of Randomized Controlled Trials. Asian Nurs Res (Korean Soc Nurs Sci). 2019 Dec;13(5):295-305.
16.  VELASCO-RODRÍGUEZ R. et al. The effec to faromatherapy with lavender (Lavandula angustifolia) on serum melatonin levels. ComplementaryTherapies in Medicine Volume 47, December 2019, 102208
17.  SHNEIDER A. et al. Can Melatonin Reduce the Severity of COVID-19 Pandemic?.Preprints 2020, 2020040122 (doi: 10.20944/preprints202004.0122.v2).
18.  HUANG S. et al. Melatonin possesses an anti-influenza potential through its immune modulatory effect. Journal of Functional Foods Volume 58, July 2019, Pages 189-198
19.  PIMENTA FC et al. Anxiolytic Effect of Citrus aurantium L. on Patients with Chronic Myeloid Leukemia. Phytother Res. 2016 Apr;30(4):613-7.
20.  SIVEEN KS, KUTTAN G. Augmentation of humoral and cell mediated immune responses byThujone. IntImmunopharmacol. 2011 Dec;11(12):1967-75.
21.  KAUR I. et al. Augmented primary humoral immune response and decreased cell-mediated immunity by Murraya koenigii in rats. Journalof Basic and Clinical. 2014 Physiology and Pharmacology, 25(2).
22.  FARHATH S. et al. Immunomodulatory activity of geranial, geranial acetate, gingerol, and eugenol essential oils: evidence for humoral andcell-mediated responses. Avicenna Journal of Phytomedicine, Vol. 3, No. 3, Summer 2013 224
23.  SADLON AE, LAMSON DW. Immune-modifying and antimicrobial effects of Eucalyptus oil and simple inhalation devices. Altern Med Rev. 2010 Apr;15(1):33-47.
24.  Oh S. et al. Suppression of Inflammatory cytokine production by ar-Turmerone isolated from Curcuma phaeocaulis. Chem Biodivers. 2014 Jul;11(7):1034-41.
25.  RAMAGOPALAN SV et al. A ChIP-seq defined genome-wide map of vitamin D receptor binding: associations with disease and evolution. Genome Res. 2010 Oct;20(10):1352-60.
26.  Vitamina D pode reduzir efeitos do novocoronavírus - acesso abril de 2020.
27.  VIMALANATHAN S., HUDSON J. Anti-influenza virus activity of essential oils and vapors. American Journal of Essential Oils and Natural Products 2014; 2 (1): 47-53
28.  RICEVUTI, G. et al.  Oxygen-ozone immunoceutical therapy in COVID-19 outbreak:facts and figures.Ozone Therapy 2020; 5:9014
29.  World Federation of Ozone Therapy - acessadoemabril 2020.
30.  Laszlo Aromatologia - acessado em abril 2020.

11 maio, 2020

Estou me guardando para quando o Carnaval chegar!

Um dos documentários que te coloca vários pontinhos de interrogação à mente...
Um filme para refletir esse modo capitalista.
Uma roda de trabalho girando sem parar, quase alucinógena!

Uma utopia sobre autonomia financeira e além desta!
Alguém põe a roda para girar. Mas com que ilusão nos mantemos girando nela?

(em Netflix no momento)

Decrescimento


“Diante dessa ideia que quer colocar no centro da vida humana a produção e o consumo, o imaginário coletivo deve ser descolonizado. Vivemos em um planeta de cinco ou mais velocidades que classifica países, regiões e continentes de acordo com seu poderio e sua pobreza. Alguns poucos acima correndo soltos em direção a um crescimento infinito que não é possível, outros muito abaixo sofrendo doenças para eles crônicas”, escreve Iosu Perales, cientista político, especialista em relações internacionais, em artigo publicado por Rebelión, 01-04-2020. A tradução é do Cepat.

Eis o artigo.

decrescimento é uma alternativa econômica? Quando um rio transborda, queremos que decresça e as águas retornem ao seu leito. Trata-se disso. Na realidade, o decrescimento não é uma opção, é uma necessidade.
Atualmente, fala-se muito sobre o dia seguinte em termos dramáticos. Do ponto de vista oficial, estão nos preparando para assumir cortes de todos os tipos em um marco político social autoritário, e agem assim com um enfoque de mais do mesmo, com o objetivo de retornar às receitas de crescimento econômico que mostraram que entre as pessoas e a economia escolhem esta última. Diante desse enfoque fracassado em termos de humanidade e sustentabilidade do planeta - e não de negócios -, defendo a recuperação da palavra decrescimento e a reflexão sobre ela. Deve haver um antes e um depois do coronavírus.
Haverá quem diga que não estou neste mundo e que sou um romântico. Pode ser. Mas se fazemos a pergunta: nosso mundo tem recursos infinitos? A resposta é NÃO. Nesse caso, pode ser sustentada a atual corrida descontrolada que não admite os limites do crescimento? A resposta também é NÃO. Este deve ser o ponto de partida de qualquer proposta para sair desta crise. Sejamos claros: estamos vivendo sob a ditadura de poderes financeiros que colonizaram as instituições políticas até anulá-las. Esse mundo neoliberal é um pesadelo. Nele tudo é vendido e tudo é comprado, até a saúde.
E não apenas isso, a chamada competitividade mudou as empresas de tal maneira que para comprar certos produtos, neste caso produtos de saúde, é preciso ir à China, que vende seus produtos em dinheiro e ao maior lance. É a lei dos custos mais baratos. Nos países europeus, desmantelamos nossas capacidades produtiva e colocamos muros que não podemos saltar. Essa globalização deve ser substituída por outra que enfatize a cooperação, a unidade e as decisões globais.
Uma terceira característica do modelo neoliberal é o endividamento dos países para crescer, sendo que imediatamente precisam crescer para pagar a dívida. É uma lógica perversa que prende países.
Decrescimento não é voltar à penúria, ao atraso. Isso será dito por mal-intencionados intelectuais e políticos que se apegam com as unhas a um neoliberalismo já insuportável. O neoliberalismo é uma traição às pessoas, aos povos. Ao contrário, o decrescimento nos convida, nas palavras do professor basco de economia Koldo Unceta, a “empreender mudanças estruturais na maneira de organizar a produção e a distribuição a serviço das pessoas e de acordo com a preservação dos recursos”.
Isso requer tomar consciência da diferença entre desenvolvimento e desenvolvimento ruim. O último é insaciável e devora tudo, confundindo crescimento permanente com desenvolvimento e prosperidade. Em outro sentido, teria que ser realizada uma redução regular e controlada da produção para assentar um novo paradigma de prosperidade.
Geralmente, o PIB nos é apresentado como o indicador de avanço de uma sociedade. Não dizem avanço em que direção, mas é que o PIB inclui mais más que boas práticas e atividades. A propósito do PIB, não sendo em nada simpatizante de Robert. F. Kennedy, resgato suas palavras de 1968, alertando que o PIB “não mede nem nossa virtude, nem nossa coragem, nem nossa inteligência nem nosso aprendizado. Mede todos os detalhes, exceto o que dá verdadeiro sentido à nossa vida”.
decrescimento leva em consideração a justiça ambiental que nos lembra o conflito entre quem obtém lucro e quem sofre dano ecológico. Quando daremos um respiro ao planeta? Estou pensando em grandes obras e infraestruturas que prejudicam seriamente o meio ambiente. Mas também penso em trabalhos em escala local que procuram fazer parte de um modelo de sociedade que apresenta buracos negros.
Um exemplo próximo: Que sentido faz construir um metrô em uma cidade cujo maior prazer é caminhar pela baía respirando a brisa do mar? Qual é a vantagem para a saúde global da cidade, que tem seu charme e fama merecida em seu tamanho médio, para percorrê-la a pé. Com o que está acontecendo e acontecerá, não é mais ético, mais progressivo e mais ecológico usar seu custo para atender muitas pessoas vulneráveis na própria cidade? Por que há tantos medíocres na política? Por que tão pouco talento? Por que há tanta incapacidade de inovar e imaginar um mundo, um país, uma cidade, mais amáveis?
Em todos os níveis da sociedade, estamos enlouquecendo. O desenvolvimentismo ou o desenvolvimento ruim reativa obras faraônicas, o consumo e o endividamento. Pois bem, o decrescimento é parar e pensar que, se o único objetivo da vida é produzir e consumir, tudo é um absurdo, uma humilhante ideia que deve ser abandonada, segundo Cornéluis Castoriadis (filósofo, sociólogo, economista e psicanalista greco-francês). Uma ideia patética que, aliás, é amplamente usada na política quando se diz as “para as pessoas o que importa é comer”. Quem pensa assim tem uma ideia nefasta da sociedade e deveria ter vergonha.
decrescimento propõe, entre outras medidas: compartilhar o trabalho, reduzindo a jornada de trabalho, aumentando a população empregada, uma renda básica mínima para garantir que todos tenham renda para viver com dignidade. Trata-se também de mudar um estilo de vida que cria frustração e infelicidade.
Diante dessa ideia que quer colocar no centro da vida humana a produção e o consumo, o imaginário coletivo deve ser descolonizado. Vivemos em um planeta de cinco ou mais velocidades que classifica países, regiões e continentes de acordo com seu poderio e sua pobreza. Alguns poucos acima correndo soltos em direção a um crescimento infinito que não é possível, outros muito abaixo sofrendo doenças para eles crônicas. Devemos resgatar a consciência de que somos UMA espécie e que nos salvamos todos ou ninguém, é fundamental.
Todos falharam. Os cientistas, os governos, as instituições mundiais, todos. Submergidos nos desafios de mais e mais crescimento, não souberam avaliar a ameaça real na forma de uma pandemia, manifestando uma falta de preparo para enfrentar perigos pouco conhecidos. Porque é preciso dizer que houve quem advertiu de uma possível pandemia muito agressiva e suas palavras foram tomadas como as de um excêntrico bilionário. Bill Gates disse isso em 2005. Optou-se por deixar passar sua advertência para não alarmar e criar insegurança nos mercados financeiros. Assim funciona esse mundo.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...