28 setembro, 2010

Inspira novo e atualizações

O Inspira novo ficou pronto ! O acessório base ficou menor e mais leve, alças mais finas e transparentes pelo silicone, regulagem mais firme. E com uma embalagem (bag) para guardar os patches, o acessório base e de quebra alguns frascos de óleos essenciais ! Maravilha !!! No começo achei que a elaboração dele - manufatura - ia ser mais simples, mas que nada, mas tudo bem compensou porque o design ficou bem mais bacana.
A funcionalidade permanece a mesma do Inspira anterior.
Já o Inspira Sinergias, fica para 2011, eu poderia manter as mesmas sinergias e até penso nisso, mas quero aproveitar e me dedicar a possivelmente outras sinergias que tenho em mente, enfim penso nisso com carinho no próximo ano ! Mas qualquer dúvida sobre reposição envie-me um e-mail, ok !
No embalo da nova página do Inspira, estou ao poucos dando uma revista nas páginas e atualizando textos, como da página Aromaterapia - Origem e Usos, que agora consta com links nos temas aos artigos já escritos. Aproveitei e colori a Loja Virtual ... com cores achei que quase deu para sentir os aromas de cada óleo, e talvez fique ainda mais fácil se localizar ao comprar ! Bom, adoro uma mudança e sempre que possível estou encarando umas transformações, acho que quem me acompanha aqui ou no site já percebeu isso ! rs
Por isso sugestões são sempre muito bem-vindas ! 
Pensava em escrever ao mailing as atualizações hoje, mas vou aguardar um pouco, pois os itens esgotados estão quase sendo repostos, além de a partir do dia 10 estarem disponíveis os patches e acessório base para venda à parte do Inspira Básico - assim mando todas as novidades juntas !
E vamos que vamos !!!

Tea Tree x Câncer de Pele

Daily Mail, 05 de julho de 2010: 
Uma equipe da University of Western Australia acreditam que o óleo essencial de Tea Tree (TTO), feito a partir da Melaleuca alternifolia encontrados em Nova Gales do Sul, pode trabalhar pela ativação da resposta imune do organismo ao câncer de pele. O líder do estudo, Dr. Sara Greay, disse: "Estamos muito animados sobre estes resultados e esperamos encontrar o financiamento de um ensaio clínico pequeno de aproximadamente 50 pessoas com lesões pré-cancerosas, com o objetivo de prevenir o desenvolvimento e câncer de pele." 
Não-melanoma,  câncer de pele é um dos tipos mais comuns de câncer no Reino Unido, com cerca de 100.000 novos casos diagnosticados a cada ano. TTO reduziu câncer de pele do tipo não-melanona em ratos em apenas um dia e secou-os no prazo de três dias. Ao contrário de outros agentes quimioterápicos aprovados para câncer de pele clinicamente, que têm tempos de tratamento longo de três a 16 semanas e pode causar náuseas e sintomas tipo gripe, TTO só produz irritação moderada na pele, que desaparece em poucos dias de terminar o tratamento.
TTO contém constituintes chamados terpenos, que foram encontrados por ter a atividade anti-séptico e antifúngico. O composto terpinen-4-ol é o mais abundante responsável pela maior parte da atividade antimicrobiana do TTO.
O TTO tem propriedades maravilhosas que o torna um agente natural popular para a cura de todos os três tipos de organismos infecciosos: fungos, bactérias e vírus. Mais importante, ele é conhecido por combater eficazmente a uma série de infecções que são resistentes a alguns antibióticos. Portanto, o TTO é um remédio natural excelente para centenas de fungos da pele doenças e bactérias, tais como acne, abcessos, pele oleosa, bolhas, queimaduras do sol, do pé de atleta, verrugas, herpes, picadas de insetos, eczemas, caspa e outros ferimentos menores e irritações.
Estudos têm demonstrado que TTO também trata de problemas respiratórios comuns que vão desde dores de garganta, tosse e coriza a condições severas, tais como asma, tuberculose e bronquite. As propriedades anti-viral do óleo combate de várias doenças infecciosas, como a catapora, herpes e sarampo, gripe, herpes labial e verrugas. Também fortalece o sistema imunológico do corpo, que é muitas vezes debilitado pela doença, estresse, ou pelo uso de antibióticos e outras drogas.Também pode ser usado como uma lavagem da boca, pois é altamente eficaz na cicatrização de candidíase oral (infecção fúngica na boca e garganta). As propriedades para aumentar a imunidade pode ser a chave para o TTO combater o câncer de pele.
obs.: usei a sigla TTO na tradução deste texto (tea tree oil/ óleo essencial de Tea Tree). 
Saiba mais sobre não-melanona :http://www.inca.gov.br/conteudo_view.asp?id=334
Saiba mais sobre OE de Tea Tree : www.aromarte.com.br/teatree.htm

27 setembro, 2010

Política - A Fome de Marina

Bocadinho de Política... num texto inteligente como esse, é bom compartilhar !
Minha mãe também diz que não tem coragem de votar na Marina, ela me diz : ela é muito frágil... É as aparências ainda nos enganam...  Segue:
Independente de que o seu candidato seja uma Silva da Selva, Uma Roussef não-russa, um Serra do planalto paulista ou qualquer outro ser bípede sem penas desse Brasil tropical bem legal, esse texto é impactante pela inteligencia, clareza de raciocínio, competência em buscar e encontrar referências.

*A FOME DE MARINA*

Há pouco, Caetano Veloso descartou do seu horizonte
eleitoral o presidente Lula da Silva, justificando: 
“Lula é analfabeto”. Por isso, o cantor baiano
aderiu à candidatura da senadora Marina da Silva, 
que tem diploma universitário. 
Agora, vem a roqueira Rita Lee dizendo que nem assim vota
em Marina para presidente, “porque ela tem cara de quem 
está com fome”.Os Silva não têm saída: se correr o Caetano
pega, se ficar a Rita come.
Tais declarações são espantosas, porque foram feitas não por pistoleiros
truculentos, mas por dois artistas refinados, sensíveis e contestadores,
cujas músicas nos embalam e nos ajudam a compreender a aventura da
existência humana.
Num país dominado durante cinco séculos por bacharéis cevados, roliços e
enxudiosos, eles naturalizaram o canudo de papel e a banha como requisitos
indispensáveis ao exercício de governar, para o qual os Silva, por serem
iletrados e subnutridos, estariam despreparados.
Caetano Veloso e Rita Lee foram levianos, deselegantes e preconceituosos.
Ofenderam o povo brasileiro, que abriga, afinal, uma multidão de silvas
famélicos e desescolarizados.
De um lado, reforçam a ideia burra e cartorial de que o saber só existe se
for sacramentado pela escola e que tal saber é condição *sine qua non* para
o exercício do poder. De outro, pecam querendo nos fazer acreditar que quem
está com fome carece de qualidades para o exercício da representação
política.
A rainha do rock, debochada, irreverente e crítica, a quem todos admiramos,
dessa vez pisou na bola. Feio.“Venenosa! Êh êh êh êh êh!/ Erva venenosa, êh
êh êh êh êh!/ É pior do que cobra cascavel/ O seu veneno é cruel…/ Deus do
céu!/ Como ela é maldosa!”.
Nenhum dos dois - nem Caetano, nem Rita - têm tutano para entender esse
Brasil profundo que os silvas representam.
A senadora Marina da Silva tem mesmo cara de quem está com fome? Ou se trata
de um preconceito da roqueira, que só vê desnutrição ali onde nós vemos uma
beleza frágil e sofrida de Frida Kahlo, com seu cabelo amarrado em um coque,
seus vestidos longos e seu inevitável xale? Talvez Rita Lee tenha razão em
ver fome na cara de Marina, mas se trata de uma fome plural, cuja geografia
precisa ser delineada. Se for fome, é fome de quê?
*O mapa da fome *
*A primeira fome de Marina é, efetivamente, fome de comida, fome que roeu
sua infância de menina seringueira, quando comeu a macaxeira que o capiroto
ralou. Traz em seu rosto as marcas da pobreza, de uma fome crônica que
nasceu com ela na colocação de Breu Velho, dentro do Seringal Bagaço, no
Acre.*
Órfã da mãe ainda menina, acordava de madrugada, andava quilômetros para
cortar seringa, fazia roça, remava, carregava água, pescava e até caçava.
Três de seus irmãos não aguentaram e acabaram aumentando o alto índice de
mortalidade infantil.
Com seus 53 quilos atuais, a segunda fome de Marina é dos alimentos que,
mesmo agora, com salário de senadora, não pode usufruir: carne vermelha,
frutos do mar, lactose, condimentos e uma longa lista de uma rigorosa dieta
prescrita pelos médicos, em razão de doenças contraídas quando cortava
seringa no meio da floresta. Aos seis anos, ela teve o sangue contaminado
por mercúrio. Contraiu cinco malárias, três hepatites e uma leishmaniose.
A fome de conhecimentos é a terceira fome de Marina. Não havia escolas no
seringal. Ela adquiriu os saberes da floresta através da experiência e do
mundo mágico da oralidade. Quando contraiu hepatite, aos 16 anos, foi para a
cidade em busca de tratamento médico e aí mitigou o apetite por novos
saberes nas aulas do Mobral e no curso de Educação Integrada, onde aprendeu
a ler e escrever.
Fez os supletivos de 1º e 2º graus e depois o vestibular para o Curso de
História da Universidade Federal do Acre, trabalhando como empregada
doméstica, lavando roupa, cozinhando, faxinando.
Fome e sede de justiça: essa é sua quarta fome. Para saciá-la, militou nas
Comunidades Eclesiais de Base, na associação de moradores de seu bairro, no
movimento estudantil e sindical. Junto com Chico Mendes, fundou a CUT no
Acre e depois ajudou a construir o PT.
Exerceu dois mandatos de vereadora 
em Rio Branco , quando devolveu o
dinheiro das mordomias legais, mas escandalosas, forçando os demais
vereadores a fazerem o mesmo. Elegeu-se deputada estadual e depois senadora,
também por dois mandatos, defendendo os índios, os trabalhadores rurais e os
povos da floresta.
Quem viveu da floresta, não quer que a floresta morra. A cidadania ambiental
faz parte da sua quinta fome. Ministra do Meio Ambiente, ela criou o Serviço
Florestal Brasileiro e o Fundo de Desenvolvimento para gerir as florestas e
estimular o manejo florestal.
Combateu, através do Ibama, as atividades predatórias. Reduziu, em três
anos, o desmatamento da Amazônia de 57%, com a apreensão de um milhão de
metros cúbicos de madeira, prisão de mais 700 criminosos ambientais,
desmonte de mais de 1,5 mil empresas ilegais e inibição de 37 mil
propriedades de grilagem.
*Tudo vira bosta*
Esse é o retrato das fomes de Marina da Silva que - na voz de Rita Lee - a
descredencia para o exercício da presidência da República porque, no frigir
dos ovos, “o ovo frito, o caviar e o cozido/ a buchada e o cabrito/ o
cinzento e o colorido/ a ditadura e o oprimido/ o prometido e não cumprido/
e o programa do partido: tudo vira bosta”.
Lendo a declaração da roqueira, é o caso de devolver-lhe a letra de outra
música - ‘Se Manca’ - dizendo a ela: “Nem sou Lacan/ pra te botar no divã/ e
ouvir sua merda/ Se manca, neném!/ Gente mala a gente trata com desdém/ Se
manca, neném/ Não vem se achando bacana/ você é babaca”.
Rita Lee é babaca? Claro que não, mas certamente cometeu uma babaquice. Numa
de suas músicas - ‘Você vem’ - ela faz autocrítica antecipada, confessando:
“Não entendo de política/ Juro que o Brasil não é mais chanchada/ Você vem…
e faz piada”. Como ela é mutante, esperamos que faça um gesto grandioso, um
pedido de desculpas dirigido ao povo brasileiro, cantando: “Desculpe o auê/
Eu não queria magoar você”.
A mesma bala do preconceito disparada contra Marina atingiu também a
ministra Dilma Rousseff, 
em quem Rita Lee também não vota porque, “ela tem
cara de professora de matemática e mete medo”. Ah, Rita Lee conseguiu o
milagre de tornar a ministra Dilma menos antipática! Não usaria essa imagem,
se tivesse aprendido elevar uma fração a uma potência, em Manaus, com a
professora Mercedes Ponce de Leão, tão fofinha, ou com a nega Nathércia
Menezes, tão altaneira.
Deixa ver se eu entendi direito: Marina não serve porque tem cara de fome.
Dilma, porque mete mais medo que um exército de logaritmos, catetos,
hipotenusas, senos e co-senos. Serra, todos nós sabemos, tem cara de
vampiro. Sobra quem?
Se for para votar em quem tem cara de quem comeu (e gostou), vamos
ressuscitar, então, Paulo Salim Maluf ou Collor de Mello, que exalam saúde
por todos os dentes. Ou o Sarney, untuoso, com sua cara de ratazana
bigoduda. Por que não chamar o José Roberto Arruda, dono de um apetite voraz
e de cuecões multi-bolsos? Como diriam os franceses, “il péte de santé”.
O banqueiro Daniel Dantas, bem escanhoado e já desalgemado, tem cara de quem
se alimenta bem. Essa é a elite bem nutrida do Brasil…

*Rita Lee não se enganou: Marina tem a cara de fome do Brasil, mas isso não
é motivo para deixar de votar nela, porque essa é também a cara da
resistência, da luta da inteligência contra a brutalidade, do milagre da
sobrevivência, o que lhe dá autoridade e a credencia para o exercício de
liderança em nosso país.*

*Marina Silva, a cara da fome? Esse é um argumento convincente para votar
nela. Se eu tinha alguma dúvida, Rita Lee me convenceu definitivamente.*

*Por *José Ribamar Bessa Freire
*Professor, coordena o Programa de Estudos dos Povos Indígenas (UERJ)e
pesquisa no Programa de Pós-Graduação 
em Memória Social (UNIRIO)*


23 setembro, 2010

Mais Primavera ! Dá-lhe alegria !

Florescimento


Terra, 114 milhões de anos atrás, de manhã, logo após o nascer do sol : a primeira flor que aparece no planeta abre-se para receber os raios solares. Antes desse formidável acontecimento, que representa uma transformação evolucionária na vida das plantas, o globo já estivera coberto de vegetação por milhões de anos. A primeira flor provavelmente não durou muito tempo. As flores devem ter permanecido como um fenômeno raro e isolado porque talvez as condições ainda não fossem favoráveis à plena ocorrência do florescimento. Um dia, porém, um limite crítico foi alcançado e, de repente, deve ter se dado uma explosão de cores e perfumes por toda a Terra – isso é o que uma consciência observadora teria visto se estivesse presente.


Muito tempo depois, esses seres delicados e fragrantes que chamamos de flores viriam desempenhar um papel essencial na evolução da consciência de outras espécies. Cada vez mais, os seres humanos seriam atraídos e se sentiriam fascinados por eles. É provável que as flores tenham sido a primeira coisa que a consciência da espécie humana começou a valorizar enquanto se desenvolvia, mesmo que elas não tivessem um propósito utilitário imediato, isto é, que não estivessem vinculadas de alguma maneira à sobrevivência.
No decorrer dos tempos, as flores foram a fonte de inspiração de incontáveis artistas, poetas e místicos. Jesus pede-nos que as contemplemos e que aprendamos com elas sobre como viver. Diz-se que, em determinada ocasião Buda teria proferido um “sermão silencioso” enquanto segurava uma flor e apreciava. Após algum tempo, um monge chamado Mahakasyapa começou a sorrir diante dos presentes. Ele teria sido o único a entender o sermão. De acordo com a lenda, aquele sorriso (isto é a compreensão) foi transmitido às gerações seguintes por 28 mestres sucessivamente e, muito tempo depois, tornou-se a origem do zen.

Contemplar a beleza de uma flor poderia despertar os seres humanos, ainda que por um breve momento, para a beleza que constitui uma parte essencial do seu próprio ser mais profundo, sua verdadeira natureza. O início do reconhecimento da beleza foi um dos mais acontecimentos mais significativos na evolução da consciência da nossa espécie. Os sentimentos de alegria e amor estão ligados de modo intrínseco a isso. Sem que percebêssemos inteiramente, as flores tornaram-se uma expressão em termos de forma daquilo que é mais elevado, mais sagrado, e, em última análise, informe, dentro de nós. Mais efêmeras, mais etéreas e mais delicadas do que as plantas das quais se originam, elas são como mensageiras de outra esfera, uma espécie de ponte entre o mundo das formas materiais e o informe. Elas não só exalam um perfume suave e agradável aos seres humanos como emanam a fragrância da esfera espiritual.

Eckhart Tolle, Um Novo Mundo.

A Primavera chegou !

22 setembro, 2010

Calunga - espiritualidade


Hoje vou compartilhar esse podcast do Calunga, por Luiz Gasparetto.
A mensagem mais inspiradora que já tive a oportunidade de ouvir – um ensinamento perfeito sobre o que é a plenitude espiritual, a grande Fonte.
Tem uma hora de duração, reservem essa hora para somente ouvir a mensagem e sintam a luz dessa sabedoria adentrando o coração :


21 setembro, 2010

Jardins de Monet...



“Quando estava fora de casa, Monet sentia falta de sua companheira (Camille Doncieux), de suas crianças, de seus ateliês, de seus dois jardins e principalmente de suas flores. Ele tomava sempre um banho gelado matinal e um café reforçado na companhia de um de seus filhos, antes de começar o seu dia de trabalho. Em seguida, abria a porta da cozinha e saía para trabalhar em seus jardins, onde tudo respirava e tinha vida e onde o tempo parava”, diz Claire Joyes, esposa do bisneto de Claude Monet e escritora das principais biografias do artista.

http://revistacasaejardim.globo.com/Revista/Common/0,,EMI80363-16939,00-JARDINS+DE+MONET+ELES+EXISTEM.html


19 setembro, 2010

Nova Pesquisa, ômegas 3 e 9

Pesquisadores revelam propriedades
terapêuticas de gorduras insaturadas

Dieta rica em ômegas-3 e 9 interrompe e reverte processo
inflamatório que causa a perda do controle da fome :

http://www.unicamp.br/unicamp/unicamp_hoje/ju/setembro2010/ju474_pag07.php#

Novo livro Conceição Trucom

“Você pode escolher os pensamentos que vai aceitar e os que pretende transformar. É uma questão de vigilância. Uma vez escolhidos, serão depois cristalizados no mundo físico pelas ações. Depois de praticada a ação, as conseqüências acontecem como na lei da gravidade: não é possível evitar a queda depois que se solta uma bola no ar” -Conceição Trucom

Estou lendo o livro Mente e Cérebro Poderosos – o novo livro da amiga Conceição Trucom, de onde tirei a frase acima. No livro, curiosamente a Conceição também aborda o tema Sentimentos x Emoções e suas sutis diferenças, que fazem TODA a diferença !

Digo curiosamente, porque sabia que o livro trataria sobre o tema Mente e só, mas na semana que o livro saiu, eu postei aqui o mesmo assunto: Emoções x Sentimentos, em Nossos Ais são Emocionais.

Comecei a desenvolver o tema, depois que li alguns livros nas semanas anteriores de onde me “acendeu uma luzinha” com essa dúvida, ao jogar a questão na Internet, encontrei só 2 textos, um trecho em nome da Zíbia Gasparetto e outro texto canalizado de Kryon. Embora já tivesse passado por sensações das sutis diferenças, ficava difícil interpretá-los até então. Lido isso, sabia que o mais viria, assim que começasse a escrever sobre. O que também uma vez compreendido, era importante para o entendimento inicial do uso da ação dos óleos essenciais para os leitores, onde pude abordar em conjunto.

A forma como a Conceição desenvolveu o tema parte da mente, no caso subconsciente para emoções e sentimentos. Já toda vez que abordei o tema Sentimento, fui pela sensação de um distanciamento maior, do que alguns mestres citam como a “não-mente”, bem como das minhas próprias sensações, referências e experiências.

Importante é que você absorva essa delicada sensação em distinguir emoções de sentimentos, que irá além da linguagem e das palavras... pois será a sua percepção sensorial que fará a diferença. E assim começar a compreender, pois como a Conceição Trucom cita: “É fundamental diferenciar emoção de sentimento”.

O livro inclui testes e exercícios que ajudam no equilíbrio entre os hemisférios cerebrais, e demais informações acerca do funcionamento mente e cérebro.

O trabalho da Conceição, seja como química, autora ou palestrante, tem sempre algo em comum: serem didáticos, levando informação e passo-a-passo para a conquista de uma vida com qualidade e evolutiva – sempre animando nosso comportamento !

Saiba mais : www.docelimao.com.br

17 setembro, 2010

Negatividade é débito.

Negatividade é igual a débito :

Débito no amor

Débito na sorte

Débito na saúde

Débito no astral

E débito na conta bancária...

Os débitos não deixam de existir, mas precisam ser equilibrados com créditos, ou seja, com o positivismo. Crédito sobrando = positivismo em circulação ! Débito sobrando = negatividade em circulação !

Coisa triste é quando a gente deixa-se ir pelo marketing do medo. Alguém já disse que medo é contrário do Amor. Ao meu ver, o Amor não tem contrários, mas o medo sim... e se Amor é o que acolhe e expande, medo é o que separa e reduz, que mingua... e gera negativismo que resulta em débito...

O medo faz você ver-se separado do todo (realidade). Logo, separa seu dinheiro do fluxo da fonte; separa uma parte de você e credita a outra pessoa, e quando ela se vai, seu "crédito" amoroso vai junto; separa seu corpo dando uma autonomia louca às células; separa sua mente e vê o mundo fragmentado.

Pense nisso !

Drogas - Papo Punk !

Na terça assisti A Liga, na Band, que abordou o tema das drogas.

Uma coisa é a dependência, que destrói o poder de escolha, caso do crack.

Outra, são as drogas mais leves, digamos, que servem para "destravar", para ser uma pessoa "mais legal". Penso : legal, para quem ? A que custo ? A sensação de querer se vincular ao outro... abraçar, ao estilo paz e amor, me pareceu uma descrição de sensação "tudo maravilha"... proporcionada pela maconha e por drogas sintéticas usadas nas baladas, por exemplo.

É... amar ao próximo não é fácil.... !!!

Pois requer ao paralelo que ame-se, e que fase mais crítica do que isso que a adolescência, não ? Vou lembrar aqui o mandamento cristão : Ame ao Teu Próximo Como a Ti Mesmo, que poderia ser tb uma constatação : Você ama ao próximo como ama-se !

Talvez estejamos aqui no planetinha, para sobretudo, aprender a amar verdadeiramente. Não dá para negar que as drogas de modo sintetizado, consigam dar a sensação de um grau espiritual superior, fato é que as descrições são "sem descrição". Porém sem ter havido a construção dos degraus aqui nesse plano que estamos - que possam levar de modo consciencial aos estágios necessários e mantendo o livre-arbítrio - resultado é que o pós-efeito, é como ser jogado espiritualmente de um prédio de "tantos" andares, aqui quanto mais "tantos" andares, claro, maior a queda, o estrago.

Quantas " brisas", quantos refúgios, ou seja, quanta necessidade de ser visto, acolhido, respeitado, amado.

Não dá para criticar, só constatar a busca que quantas pessoas nesse exato momento estão procurando... e seja hoje ou no início dos tempos, seja hoje da mais alta sociedade em uma balada a mais baixa numa cracolândia qq - ou no bar da esquina numa droga lícita - cada um não está na procura exata pela droga, nem só pelo prazer ou pelo poder proporcionado, mas sobretudo por um Vínculo. Um vínculo tal que entra pelas veias, se instala na corrente sanguínea e torna-se muitas vezes maior que a pessoa, rouba-lhe a alma. Só que antes disso, essa pessoa tem que ter se decretado pequena e insuficiente e entraríamos aí no campo familiar, nas faltas básicas de compreensão, afeto, identidade.

Por isso tudo, as campanhas anti-drogas precisam ser repensadas, pois é assustador o crescimento de usuários, e portanto o crescimento entorpecido da sociedade, onde a busca física tem um fim rápido, já a espiritual vaga numa busca, sem fim.

09 setembro, 2010

Estações..., lá vem a Primavera ! Ôba !


"Você, tal com uma orquídea ou um sabiá-laranjeira, faz parte da natureza. Até dentro de um escritório com ar-condicionado ou parada em um congestionamento você não está excluída de tudo que ocorre naquele exato momento à sua volta. Mesmo sem saber, sua energia e seu corpo estão em sintonia com o que acontece num campo florido de cerrado, numa floresta ou na vida que inunda as águas transparentes de um rio.
Acredite: paredes não vão conseguir apartá-la do mundo dos organismos vivos e suas leis, nem ruas de asfaltos ou muros de concreto são suficientes para bloquear a ação de forças invisíveis que atuam durante as estações do ano."

Trecho da Matéria A Dança das Estações da Bons Fluidos, para ler mais: http://bonsfluidos.abril.com.br/livre/edicoes/0138/a-danca-das-estacoes.shtml

06 setembro, 2010

Um frasco de aroma...






"Alguém encontra um frasco, e de uma borrifada
Um espírito, agora renovado, e vivo, se derrama
Mil ideias adormecidas, lúgubres crisálidas
Tremendo nas sombras como jovens borboletas,
Que se põem a voar, as asas enrugadas se abrindo
Em tons de azul, sopros de rosa, e faíscas de dourado"

Charles Baudelaire













*

Conto - Morte por Perfume

Os óleos essenciais não devem ser usados, os mesmos, por um tempo prolongado e contínuo. O mesmo é válido para quase todos os usos, de medicamentos à shampoos, até costumamos dizer: perdeu o efeito!


Sabidamente alguns óleos essenciais, passam de estimulantes a relaxantes conforme a porcentagem utilizada. Óleos com características mais acentuadas como estimulantes ou sedativos, caso da classe química das cetonas, por exemplo, isso fica mais evidenciado.


O conto abaixo é belo por contar como os aromas descortinam as emoções, e também a respeito da inversão das polaridades através do excesso:

Morte por Perfume

No final do século X, período em que floresceu a mais refinada literatura no Japão, destacaram-se algumas vozes femininas com extraordinários contos, profundos romances, poesia imortal e erotismo. Este conto foi escrito na Corte de Heian pela dama Onogoro :

"Era uma vez um cortesão infiel que enganou sua amante com três mulheres diferentes em uma noite. Uma das mulheres, criada da senhora, confessou o que fizera chorando, e esta, que estava cansada das tolices do amante, concebeu um plano para livrar-se dele.

Na visita seguinte do cortesão, fingindo uma atitude doce e confiada, ela lhe rogou que a acompanhasse até o quarto onde eram misturados os perfumes, com o pretexto de confeccionar um aroma que fosse exclusivamente deles. O cortesão, que jactava de ser um conhecedor da arte do perfumista, seguiu-a ansioso ao aposento de mármore onde ferviam os recipientes das mesclas, longas tiras de folhas de angélica secavam penduradas e pétalas de primaveras noturnas entregavam seus óleos sob a pressão de grandes pranchas de ferro.

O cortesão nunca tinha sentido antes essa mistura de aromas e suas narinas estremeceram com a harmonia de mimosas e violetas, de madressilva e bálsamo de limão e jacinto silvestre. Ao passar perto do morteiro, tomou entre os dedos uma pitada de noz-moscada e cravo, e amassou os cristais da crosta da árvore de cânfora, ao mesmo tempo em que recitava trechos de poemas que lhe pareciam relevantes, porque, temos que dizê-lo, tudo o que podia recordar eram trechos.

Ocultando seu desprezo por tamanha complacência de si mesmo, a dama abraçou seu amante com paixão e lhe prometeu uma sensação totalmente nova. Intrigado, o cortesão foi facilmente persuadido a tirar a roupa e estender-se sobre uma túnica que sua amante colocara no chão.
A dama começou a aplicar gotas de lírio e cravo nas têmporas do cortesão, e foi seguindo até atingir a branca fenda na base do pescoço, que recebeu a potente essência de calêndula. Sob as axilas colocou milefólio e genciana e continuou com suas gentis atenções até ter distribuído fragrâncias por todo o corpo extasiado de seu amante.

No entanto, o que a dama sabia é que , assim como excesso de yin se transforma no principio yang, também certas doses de essências de flores curativas e estimulantes podem tomar um aspecto negativo.
Uma vez mais inclinou seus frascos sobre o corpo do cortesão, e a mostarda provocou em seu amante uma súbita e profunda melancolia, e a mimosa o encheu de medo das doenças e de suas consequências, e o lariço o convenceu do fracasso, e o azevinho espetou seu coração com invejosa raiva, e a madressilva trouxe lágrimas de nostalgia aos seus olhos.
O urze, acrescentado em certa proporção secreta, exagerou ao extremo os mais ínfimos desgostos, e o zimbro o desanimou, e a clematite o aturdiu, e o olmo o arrasou pensando em suas deficiências e a maça silvestre o convenceu que era impuro. O botão de castanha provocou-lhe a lembrança compulsiva de seus muitos erros, e o salgueiro causou-lhe o ressentimento da boa fortuna do próximo, e o álamo o fez suar e tremer com vagas apreensões, e o urze o convenceu de que sua mente falhava, e a rosa silvestre resignou-o à apatia, de modo que já não lhe importava viver ou morrer, mas teria preferido, de uma vez por todas, o último.
Satisfeita de tê-lo preparado até esse ponto, a dama administrou mais dois toques de maçã silvestre em suas têmporas para exacerbar o ódio a si mesmo. Desvanecido de desprezo por si mesmo, seu amante rogou-lhe que desse uma dose fatal para pagar assim todos os seus crimes contra ela. A dama, vendo o cortesão vencido em seus braços, ficou com pena de seu tormento e colocou uma gota de acônito em sua língua impaciente. Assim morreu o amante infiel, desnudo e aliviado, e desde a morte do próprio Príncipe Luminoso não houve outro corpo tão perfumado no próprio funeral."

The Pillow Boy of the Lady



*

O ego e o Eu

"Como dois pássaros dourados pousados no mesmo galho, intimamente amigos, o ego e o Eu habitam o mesmo corpo.
O primeiro ingere os frutos doces e azedos da árvore da vida; o segundo tudo vê em seu distanciamento"

Mundaka Upanishad
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...