16 julho, 2012

Dicas



>Por Puja Punita >>> fonte
Os óleos essenciais podem trazer muitos benefícios físicos e energéticos ao nosso corpo, além de agir em nossa memória olfativa, que é a capacidade de estimular lembranças e sensações pelo cheiro. Diferentes das essências (que são sintéticas), esse óleos essenciais, como o próprio nome diz, são a essência da planta.
Com diversas aplicações, os óleos podem ser usados como spray de limpeza e aromatização de ambientes, aromatizadores com fins terapêuticos ou, quando diluídos em óleo vegetal, direto no corpo também para terapia.
Três deles não devem faltar em sua farmácia natural: eucalipto, tea tree e lavanda. Além de não custarem muito caro (o óleo essencial de rosas, por exemplo, é mais caro que ouro!), têm muitas aplicações terapêuticas.
Eucalipto
Para tosses, dores de garganta e outros problemas do sistema respiratório, experimente:
- Tomar duas gotas de óleo essencial misturado a uma colher de sopa de mel.
- Fazer inalação como antigamente: respire o vapor de uma bacia de cinco litros de água fervente e três ou quatro gotas de óleo essencial. Para aumentar a eficiência, experimente cobrir a cabeça com uma toalha.
- Fazer uma massagem simples no peito ou nas costas com o óleo essencial diluído em óleo vegetal ou creme.
Tea tree
É fungicida e bactericida e, junto com a lavanda, é o único óleo essencial que pode ser aplicado diretamente na pele, sem diluir.
- Aplicar diretamente em frieiras e outras micoses de unhas.
- As mulheres podem prevenir candidíase pingando duas ou três gotas na calcinha ou em um protetor diário.
Lavanda
É ótimo anti-inflamatório e cicatrizante.
- Pingar uma gota em pequenos cortes (como às vezes acontece na manicure), em espinhas e pequenas queimaduras.
- Em casos de dores de cabeça, experimente pingar uma gota em cada lado da têmpora e fazer uma leve massagem circular na região.
- Para insônia, experimente pingar uma gota no travesseiro.
Puja Punita é terapeuta especializada em Yoga Massagem e dá cursos de formação de terapeutas.www.yogamassagem.com.br
 (11) 9601-8016

13 julho, 2012

Cheiros e Consumo

Você sente na pele. Nada é mais eficiente para engatilhar uma emoção que o olfato. É só ter contato com um odor que lembre alguma coisa boa, que não tem erro: a emoção volta, você fica feliz (por um tempinho, pelo menos). Mas tem algo nessa história que pode não cheirar bem, pelo menos para o bolso. Segundo pesquisas recentes, esse poder dos odores pode ser usado para deixar os consumidores mais vorazes, e os comerciantes mais ricos. O psicólogo Eric Spangenberg e sua equipe, da Universidade de Washington, fizeram um estudo sobre isso numa loja de roupas. Eles impregnaram o ar de lá com um cheiro “feminino”, de baunilha, e a venda de saias, blusinhas e vestidos dobrou. Depois fizeram a mesma coisa usando um odor “macho”, amadeirado. E o que duplicou foi a venda de roupas masculinas.
Em outra experiência, da Universidade de Nova Jersey, espalharam um cheiro cítrico “prazeiroso”, segundo os pesquisadores, num shopping canadense. E foram conversar com as pessoas enquanto elas faziam suas compras. Então dividiram os entrevistados em dois grupos: o dos “contemplativos”, que só vão ao shopping para comprar algo que já tinham planejado, e os “impulsivos”, chegados em torrar dinheiro. Neste último grupo, o odor não surtiu efeito. Mas no dos contemplativos foi bem diferente: eles gastaram 14% a mais em comparação com os que não tinham sido expostos ao perfume. E a coisa vai mais longe. Um estudo da Universidade de Zurique, na Suíça, mostrou que as pessoas tendem a confiar cegamente nas outras quando inalam um hormônio chamado ocitocina (liberado durante o orgasmo). Desse jeito, seria difícil não cair na conversa de um vendedor se borrifarem o tal hormônio em uma loja. Acreditou no que está escrito aqui? Bom, talvez tenhamos pingado alguma coisa nesta página para você inalar. Vai saber...

12 julho, 2012

Românticos Anônimos

Boa pedida pra assistir num fim de tarde de inverno, bacaninha e bem humorado.

Embora eu tenha ficado com a sensação de que os tímidos tem mais problemas que os protagonistas... Bom, também foi amenizado pelo empenho dos dois em buscar ajuda, afirmar palavras positivas...

O final sai um pouco do esperado e fecha o filme de modo "livre", digamos...

06 julho, 2012

Quanto mais rezamos, mais "assombração" aparece?

Acho que todo mundo já teve essa sensação, de que quanto mais fazemos para melhorar algo, pior a situação fica.


A questão é que quanto mais queremos "resolver" algo, mais afirmamos a situação da qual queremos nos livrar. Afirmada, ela "existe" e as coisas continuam a se enredar, atraindo mais do mesmo.
A energia flui para onde o pensamento está.
Às vezes, é necessário "reconhecimento da situação" para sair dela. Mas passar a "lutar" mentalmente não resolve, só desgaste de energia. Não é preciso. Ou você já viu a luz em luta contra a escuridão?


Rüdiger Dahlke em A Doença como Caminho diz: "Toda tentativa de enveredar por uma vida saudável, fomenta a doença".
Podemos colocar a mesma interpretação em variadas situações; basta reconhecer algo como "bem" para afirmar seu contrário, enquanto não temos o reconhecimento de que o pólo oposto do bem não é "de verdade". Como Dahlke cita no mesmo livro, o mal é produto artificial da consciência polar. E portanto não tem existência real, a menos que você o conceda.
E assim, quando reconhecemos algo como bom, o elejemos como quem também "dá vida" ao que é oponente. Note como os movimentos de ajuda aos animais, a defesa dos direitos, a certeza por uma única religião, um tipo de alimentação, entre outras coisas faz surgir uma ira oposta aos que são contrários, sobretudo no ocidente. O problema não está em escolher, nem em defender os direitos que se julguem importantes, mas em como se defende, pois em tudo deve haver respeito com as diferenças e escolhas que cada um faz. Harmonia. O que é considerado normal ao meu ver, pode não ser normal ao olhar do outro.


Outro fator do qual podemos achar que a situação piora está na própria resistência, o apego ao qual estamos condicionados. Quando buscamos por uma melhora, a situação pode parecer piorar pelas resistências que se tem, ao qual ainda resta o poder que se deu - pelas crenças - e tem seu tempo de conscientização. Ao saber que está mentalizando o bem e ainda achar que piora, diga a si mesmo que apenas está ficando ciente da própria resistência e agradeça.


A dualidade serve ao plano físico e à unidade, mas não tem finalidade na essência.


*****
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...