30 julho, 2009

Vigiai e Orai ! ( A Gripe H1N1)



por Milene Siqueira


É ligar a TV e ouvir sobre a Gripe Suína, Influenza A e agora mais citada por H1N1.
Eu, creio que como a maioria de vocês, tem recebido via e-mail sobre os cuidados para reforçar o sistema imunológico (como: beber muita água, fazer uma alimentação vegetariana, evitar leite – que produz muco, etc ). Ou seja, é simples : alimentação natural, tudo o que a mãe natureza nos dispõe, não esquecendo dos condimentos que são fortes antivirais e anti-oxidantes como orégano, tomilho, alho, cebola, cravo, canela, louro, alecrim, manjerona, açafrão, gengibre, etc.
A ferramenta alimentar é portanto base de sustentação imunológica para evitar não só a H1N1, como gripes em geral e outras infecções.

Alimentação boa = cabeça boa.
O cérebro, assim como nossos processos mentais, são governados pelas interações químicas que ocorrem dentro dele, uma nutrição equilibrada é fator chave para o bom funcionamento químico que nossa saúde mental necessita.

Mas o cérebro sabiamente colocado no topo dos corpos, é o comandante, e comanda através dos seus pensamentos. E aí a boa alimentação vai ajudar bastante, mas não basta quando você rende-se à preocupação, à pensamentos “não legais”, onde sentiremos “na alma” peso, aflição, depressão.
Mágoas, raiva, tristeza e medo são portas de entrada de doenças, pois o sistema imunológico numa cadeia de reações químicas pode ser afetado - principalmente se a nutrição não estiver equilibrada - em estado de stress e depressão, é requerido do organismo mais vitaminas, minerais e proteínas.

Já pensamentos simples e bons, conduzem a sentimentos de bem-estar, gratidão, fé, alegria e Proteção!

A minha dica é: cuide do seu Templo! Vigiai e Orai.

E chegamos aos aliados aromáticos :

Nas chamadas "pestes" que a humanidade enfrentou, os sacerdotes contavam com proteção extra – além da Divina, é claro ! - através dos seus turíbulos incensários contendo especiarias, resinas, óleos essenciais, eles literalmente oravam e vigiavam !

Todo OE é por natureza aromático, o que impede a proliferação de vírus que se propagam em ambientes fétidos. Portanto, quando o perfume de um OE está no ar, podemos contar com proteção no ar também!

E reforçando a dica, mas sem citar aqui novamente os grandes benefícios do OE de Tea Tree como forte bactericida, fungicida, antibiótico, antiviral, etc... para isso leia há a matéria completa sobre http://www.aromarte.com.br/teatree.htm) 

-Sentiu o primeiro indício de uma gripe ou processo infeccioso? Tea Tree em inalação direta – segurando um lenço com gotas de Tea Tree, ou mais facilmente estando com o Inspira – inale de 2 a 3 vezes ao dia – de 20 a 30 minutos a cada vez. Também pode se pingar 1 gota do OE nas máscaras cirúrgicas - quando o uso da máscara for necessário. Ou usar em colar aromático/difusor pessoal (www.aromarte.com.br/graal.htm)

-Nos ambientes, deve ser adicionado ao álcool a 3% (60 gotas para cada 100ml), pode ser usado como borrifador, ou pode ser misturado ao álcool gel, para assepsia das mãos. Pode também ser adicionado na mesma porcentagem a um sabonete neutro líquido.

Outros oes além do tea tree, especialmente antissépticos: canela, cravo, tomilho, eucalipto, citronela, lavanda, limão, capim-limão, cedro, alecrim, etc. Antivirais: eucalipto glóbulus, lavanda, palmarosa, canela, cravo, hortelã-pimenta, tomilho.

-Dica para alegria, afastando as neuras? Inale OEs cítricos como : Tangerina, Limão, Laranja ou Bergamota. Afaste a negatividade com Capim Limão. 

Todos os outros OEs podem ser usados no ambiente em borrifadores, difusores, pout-pourris, sachês. Única advertência para borrifação no ambiente é atenção ou diluição extra nos OE que devem ser evitados por gestantes, epilépticos e hipertensos.



*

29 julho, 2009

O cérebro come ?

É verdade: o cérebro também come, necessitando de uma alimentação equilibrada para funcionar corretamente. Com os nutrientes certos, pensamos mais depressa, temos melhor memória e concentração.

Quem não se lembra do famoso - mas detestado - óleo de fígado de bacalhau? Era dado às crianças, primeiro sob a forma de líquido, mais tarde de cápsulas. O seu sabor amargo tornou-o impopular e ainda hoje falar nele dá origem a um esgar de rejeição. Porém, havia uma boa razão, uma ótima razão para infligir tal "tormento" aos menores: é que o óleo de fígado de bacalhau é rico em substâncias essenciais para o correto desenvolvimento do cérebro. É o caso dos ácidos graxos, mas também das vitaminas do complexo B.

Hoje em dia já ninguém o toma, mas o cérebro continua a necessitar de ser alimentado. É que aquilo que comemos afeta diretamente o desempenho cerebral: está provado que os nutrientes adequados estimulam a inteligência, melhoram o humor, favorecem a estabilidade emocional, aguçam a memória, fortalecem a concentração e aguçam o raciocínio. Além de que contribuem para manter a mente jovem.

Uma questão de química
Pensar é um processo químico. O cérebro é constituído por 100 mil milhões de células - os neurônios - que comunicam umas com as outras através de alguns milhares de passagens - as sinapses. De um neurônio para o outro, a informação é transmitida por mensageiros especiais - os neurotransmissores.

Estes mensageiros são constituídos por aminoácidos, substâncias existentes nas proteínas. Para que os aminoácidos sejam transformados em neurotransmissores são necessários sais minerais e vitaminas.

São três os principais mensageiros do cérebro humano: a acetilcolina, a dopamina e a serotonina.

A acetilcolina estimula os neurônios, estando associada à capacidade de memória, mas também está envolvida nos movimentos voluntários dos músculos e na inibição comportamental. Entre os alimentos que a fornecem incluem-se a gema do ovo, os amendoins, a carne, o peixe, o queijo e vegetais como os brócolis e a couve-flor.

Já a dopamina está relacionada com o movimento, a atenção e a aprendizagem, bem como com a excitação emocional. Encontra-se nos alimentos ricos em proteínas.

Quanto à serotonina, tem implicações no humor, nas sensações de prazer e felicidade, bem como no sono e no apetite.

Gorduras são essenciais
Mais de 60 por cento do cérebro é composto por gordura. As células são protegidas por uma espécie de película isolante - a mielina - constituída por 75 por cento de gordura. Além disso, as gorduras funcionam como mensageiros, regulando o sistema imunitário, a circulação sanguínea, os processos inflamatórios, a memória e o humor.

E de todas as gorduras os ácidos graxos ômega 3 são essenciais ao desempenho do cérebro. A sua falta pode abrir caminho a depressão, perda de memória, dificuldades de aprendizagem, hiperatividade com déficit de atenção e outras disfunções do foro mental.

Destes ácidos, o DHA é produzido pelo organismo, mas está igualmente presente no leite materno e no peixe gordo (salmão, sardinha, bacalhau, entre outros). Importante é também o ALA, que, não existindo naturalmente no organismo, deve ser obtido através dos alimentos, sobretudo dos óleos vegetais (de girassol ou de soja, por exemplo).

O desenvolvimento cognitivo beneficia-se também de sais minerais como o sódio, o potássio e o cálcio (que facilitam a transmissão de mensagens e o raciocínio) e ainda o magnésio e o manganésio (que dão energia ao cérebro). O selênio e o zinco são também úteis, pois possuem efeito antioxidante, o mesmo acontecendo com as vitaminas A, C e E: são todos nutrientes que ajudam a prevenir o envelhecimento celular e contribuem para a vascularização do sistema nervoso.
Entre as vitaminas as do complexo B (sobretudo o ácido fólico), melhoram a comunicação entre as células e a performance cognitiva.

A saúde cerebral passa também pelo consumo de proteínas e hidratos de carbono. As proteínas são os nutrientes construtores, entrando na constituição de nervos, tecidos e órgãos, incluindo o coração e o cérebro.

São, além disso, usadas para fabricar os neurotransmissores, influenciando o desempenho mental. Já os hidratos de carbono interagem com a serotonina, com os seus efeitos a refletirem-se positivamente no humor e bem-estar. Frutas, vegetais e cereais são as melhores fontes deste nutriente.

Água e oxigênio também
É a água, enquanto principal constituinte do sangue (mais de 80 por cento), que transporta os nutrientes aos tecidos e elimina as toxinas do organismo. E, como qualquer outro órgão, o cérebro precisa ser hidratado para que todo o circuito de comunicação funcione adequadamente. Do grau de hidratação cerebral depende, por exemplo, o nível de alerta mental e concentração. Mais uma boa razão para beber os recomendados dois litros (oito copos) por dia.
Vital para as funções cognitivas é também o oxigênio. É a sua "fuga" do cérebro para o estômago que explica que nos sintamos moles após uma refeição mais abundante: nessa altura em que boa parte da circulação corporal é chamada a intervir na digestão, o normal é que a capacidade de alerta diminua.
Daí a recomendação de fazer pequenas refeições e de não transformar o jantar na principal refeição do dia.

Em tempo de exames
Uma alimentação equilibrada é essencial em todas as idades. Não apenas para a saúde física, mas também para a saúde mental e o desenvolvimento cognitivo. Memória, raciocínio e concentração são capacidades que beneficiam da ingestão dos nutrientes corretos.
Uma regra a ter em conta todo o ano, mas muito particularmente agora que se aproxima a época de exames: os estudantes são sujeitos a um esforço mental superior, pelo que, mais do que nunca, devem alimentar-se corretamente.
Ácidos graxos, vitaminas e sais minerais constituem um trio de ouro, complementado com as proteínas e os hidratos de carbono mais saudáveis.
E sem esquecer a água. O exercício também é importante para oxigenar o cérebro. Tal como dormir o suficiente.

Fonte : médicos de Portugal

24 julho, 2009

Reverenciando Formas de Vida

"Aproxima-vos reverentemente de todas as formas de vida. Na mais insignificante delas está escondida a chave da mais significativa.
Todas as formas de vida são significativas - sim, maravilhosas, transcedentais e inimitáveis. A vida não se ocupa de ninharias inúteis." - O Livro de Mirdad

22 julho, 2009

Mais Kontos ...



E tinha anjo - com direito a louro, negro e japonês !
Gnomos... os "Frugos"
Teve Moranguinho e Uvinha...
Bonequinhas de banho tomado... muitas !

06 julho, 2009

Respeito à vida

"Não comer carne é um gesto simbólico da minha vontade de viver em harmonia com a natureza. O homem precisa de um novo tipo de relação com a natureza, uma relação que seja de integração em vez de domínio, uma relação de pertencer a ela em vez de possuí-la. Não comer carne simboliza respeito à vida universal." (Pierre Weil, psicólogo)

03 julho, 2009

Por que a correria humana ?


"Além das almas que correm, gritam e devoram, será que existem almas que florescem calmamente, exalam sua fragrância e satisfazem sua sede com orvalho e seus impulsos pelo seu brotamento ?"
Gustav Flechner
.
..................





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...