22 outubro, 2018

Sagrado e Profano

Sagrado e Profano

Conta um conto milenar que o semideus Hércules teve de passar por 12 grandes provas – cada signo do zodíaco – para aprender sobre sua natureza divina. Na oitava, precisou enfrentar um monstro de nove cabeças (só que surgiu uma décima, imortal). E, cada vez que ele tentava cortar uma das cabeças, duas outras cresciam no lugar! Hércules, por fim, consegue vencer o monstro no momento em que se ajoelha perante ele e o tira do solo elevando-o à LUZ. Hoje, talvez, não nos sintamos tão heroicos assim, afinal, já não há bestas e dragões por aí. No entanto, enfrentamos monstros enfurecidos todos os dias. A grande questão é a tal cabeça imortal, que representa a realidade da morte e de onde surgem todas as outras cabeças. É no momento em que descobrimos que um dia morreremos que nos tornamos diferentes de todos os outros reinos da natureza, nos reconhecemos humanos e passamos a nos sentir ameaçados pelo tempo. É nesse momento também que percebemos que absolutamente tudo está à nossa disposição. E então, o que acontece? Nos percebemos nus, nos envergonhamos e criamos regras que nos dizem o que podemos ou não utilizar do que foi oferecido. Nascem o Profano e o Sagrado e, com eles, surgem nove cabeças da besta: sexualidade, que diz para a morte que ela nunca vai vencer, (já que há procriação); o dinheiro, que garante a ilusão de ganhar mais tempo; o controle, que nos leva a manipular o outro; o orgulho, que não permite discernimento; a separatividade, que nos coloca na solidão das grandes certezas; a desconfiança que não permite enxergar a inocência; a ambição, que nos faz insatisfeitos; o ódio, que nos torna amargos; e o medo da luz própria, que nos faz parar nas mágoas do passado para não assumirmos responsabilidades sobre nossos talentos.


Olhando assim, parece até que tudo é profano e gera dor, mas ouso dizer que só é profano aquilo que não é feito com AMOR. Ame tua sexualidade que ensina sobre prazer de saber-se humano, honre o dinheiro que vem do trabalho que te faz sentir vivo, controle pensamentos e palavras para que sejam mensageiros da sua verdade, orgulhe-se de seus talentos, confie no bem que te habita, conheça-te a ti mesmo, coma um brigadeiro, adoce sua vida, brinque! E doe a mundo aquilo que é único em ti. Será que conseguimos? 


por Fernanda Zanini para a Bons Fluidos





*

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...